Notícias

Postado em 20/11/2017 7:12

Chineses vem a Salvador estudar a viabilidade socioeconômica da Ponte

.

Share Button

Foto: Eduardo Tito

 

O vice-governador e secretário de Planejamento, João Leão, se reuniu na manhã desta segunda-feira, 20, com representantes da empresa chinesa CRE4, interessada na construção do projeto do Sistema Viário Oeste – Ponte Salvador-Ilha de Itaparica para discutir as viabilidades socioeconômicas de uma possível parceria com a empresa chinesa.

Está é a segunda vez que a CRE4 envia uma equipe técnica para conhecer o projeto SVO. A primeira equipe representada por engenheiros do grupo chinês estiveram presentes em julho deste ano para visitara as áreas beneficiadas pelo SVO e estudar a modelagem de engenharia da Ponte e as duplicações das BAs envolvidas no sistema. Está segunda equipe técnica composta por economistas, estão analisando a viabilidade socioeconômica do projeto e seu potencial de desenvolvimento econômico da região privilegiada pelo sistema.

O vice-governador João Leão ressaltou a eficiência da gestão do governo do Estado no comprometimento com as obras da Bahia “Quando assumimos o metrô de Salvador a obra tinha apenas 6km de conclusão. Em um ano e meio já construímos mais de 30km desta maior obra de mobilidade urbana de Salvador. O governador Rui Costa tem feito um maravilho trabalho na gestão pública e até dezembro vamos concluir o metrô até o aeroporto e começar os testes operacionais. Por isso estamos pronto para iniciarmos está grandiosa obra também de mobilidade urbana que é a ponte” disse Leão.

O Sistema Viário Oeste que engloba a Ponte do Desenvolvimento, entre os municípios de Salvador e Itaparica, criará um novo vetor de desenvolvimento no estado, impactando 4,4 milhões de habitantes de 45 municípios da Bahia. Com a criação da ponte e demais intervenções viárias presentes no projeto, a Ilha de Itaparica, os territórios do Recôncavo, Sul e o Baixo Sul, que hoje apresentam Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) próximo das regiões mais pobres do estado, terão seu crescimento socioeconômico estimulado segundo o projeto.

Orçada em R$ 7 bilhões, a Ponte Salvador Ilha de Itaparica prevê impacto na região com investimentos públicos e privados três vezes maiores do que os recursos gastos na obra, que tem previsão de duração quatro anos. Para isto, o plano de desenvolvimento da região prevê o estímulo a áreas como educação, saúde, segurança pública, logística, indústria naval, turismo, agricultura, comércio e construção civil.

Para o vice-governador João Leão a construção deste sistema deixará a Bahia ainda mais forte como potencia econômica no Brasil “hoje o estado de São Paulo é a grande locomotiva econômica do país. O que o governo da Bahia quer e vamos conseguir através da construção do SVO nos tornar a segunda locomotiva econômica do Brasil. Ficando atrás apenas de São Paulo ou quem sabe andando ao lado” ressaltou Leão.

Além do desenvolvimento socioeconômico, a implantação do sistema viário trará outros benefícios para a Bahia. Entre eles, está o encurtamento das distâncias entre Salvador e diversas cidades do litoral sul da Bahia, que ficarão até 70% mais próximas pela via rodoviária. A presença da ponte criará também uma nova alternativa de entrada em Salvador, ampliando a infraestrutura logística do estado, em conjunto com outras iniciativas em desenvolvimento como o Porto Sul e a Ferrovia Oeste-Leste.

Bovespa

Na sexta-feira, 18, o vice-governador João Leão, anunciou no Roadshow “Investimento e Desenvolvimento do Nordeste”, evento realizado na FIEB que o governo da Bahia pretende realizar no dia 29 de abril de 2018 o leilão para a escolha da empresa que vai construir e explorar o Sistema Viário Oeste – Ponte do Desenvolvimento Salvador-Ilha de Itaparica com a participação de quatro empresas duas chinesas CRBC e CREC4 e duas brasileiras a Camargo Corrêa e a OAS.

Sudene

Também nesta reunião foi apresentado pelo superintendente da Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste), Marcelo Neves, uma proposta para viabilizar um financiamento no aporte de 1.8 bilhões para construção do Sistema Viário Oeste que segundo Marcelo é uma grandiosa obra de infraestrutura que a Sudene encara como prioridade para o desenvolvimento da Bahia.

Share Button

BUSCAR NO SITE: