Esportes

Postado em 08/09/2017 12:08

Fla x Cru: empate no Maracanã no 1º jogo da final da Copa do Brasil

.

Share Button

Por: ESPN.com.br

A primeira batalha pela taça da Copa do Brasil terminou sem vencedor. O Flamengo até abriu o placar com o atacante Lucas Paquetá, substituto de Guerrero (suspenso), mas o Cruzeiro empatou com o meia Arrascaeta, em duelo que ficou no 1 a 1, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, na noite desta quinta-feira.

O campeão será conhecido no dia 27, daqui a quase três semanas, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte. O vencedor do confronto levará a taça e garantirá uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores. Caso o duelo termine empatado haverá pênaltis – na final, não há critério de gols fora de casa.

O Cruzeiro jogará desfalcado de Rafael Sobis, que terá de cumprir suspensão por cartão amarelo. Ele é o artilheiro do time na Copa do Brasil, com cinco gols.

O gol do Flamengo foi aos 30 minutos. Após cruzamento para a área, a defesa cruzeirense afasta mal, no rebote o zagueiro Réver chuta e a bola e é desviada levemente pelo volante Willian Arão, mas o goleiro Fábio espalma. No rebote, Paquetá antecipa Hudson e marca.

O tento gerou reclamação cruzeirense porque Paquetá estava impedido no lance.

O Cruzeiro conseguiu empatar aos 38 e foi em um erro do goleiro Thiago. O lance começou com uma finalização de longa distância de Hudson. O arqueiro rubro-negro acabou espalmando a bola para dentro da área e o meia Arrascaeta, livre, empatou o confronto.

Antes de brigarem pela taça da Copa do Brasil, as equipes terão compromissos pelo Campeonato Brasileiro. O Flamengo jogará contra o Botafogo, no estádio Nilton Santos, no próximo domingo, pela 23ª rodada. O Cruzeiro enfrentará a Chapecoense, em Chapecó, no mesmo dia.

Antes da final, confusão

A festa e a decisão nem tinham iniciado no Maracanã, quando uma briga entre torcedores organizados do Flamengo estourou do lado de fora.

Não fico claro se a briga era em busca de ingressos – nas bilheterias estavam esgotados, mas cambistas vendiam entradas por valores como R$ 400, R$ 500 – ou por uma tentativa de se aproximar da área reservada aos torcedores do Cruzeiro.

A polícia militar acabou coibindo (na força) os torcedores. Houve confusão, tumulto e correria. Tiros, bombas de efeito moral. Um terror.

Dentro do estádio também ocorreram problemas. Alguns torcedores do Flamengo pularam a cerca para trocar o setor sul pelo setor leste no Maracanã. Houve discussão e até um princípio de vandalismo quando os seguranças internos da arena tentaram conter esses rubro-negros.

A mudança foi de última hora, mas deixou muitos rubro-negros irritados com o técnico Reinaldo Rueda. Eles vinham gostando da atuação de Cuéllar como titular, entendendo que o colombiano dava mais proteção e mais qualidade no passe para Willian Arão e Diego.

Cuéllar acabou ficando no banco de reservas no primeiro jogo da final. A justificativa de Rueda foi que Araújo protege mais a defesa. Quando o nome dele foi anunciado no estádio, apesar da rejeição a torcida procurou incentivar o volante.

Primeira chance de gol

Foi apenas aos 26 minutos do primeiro tempo, quando Diego (na meia esquerda) lançou a bola para a área. Willian Arão conseguiu desviar levemente de cabeça e o goleiro Fábio se destacou com uma defesa difícil, espalmando a bola lateralmente. A torcida rubro-negra se animou…

Nem lá, nem cá

Chance de real de gol apenas a citada acima. No geral, o primeiro tempo foi de poucos chutes certos ao gol.

O Cruzeiro começou bem a partida, marcando com força e usando os contra-ataques (mas fraco na finalização). O Flamengo cresceu com o decorrer do passar dos minutos. Passou a concentrar quase todo o time no campo de ataque, embora tendo dificuldades para achar espaços.

Nos minutos finais o time mineiro voltou a equilibrar o confronto, sofrendo menos pressão.

Comendo pelas beiradas…

Quase sem posse de bola, pressionado, mas o Cruzeiro chegou com chance de marcar aos 12 do segundo tempo.

No lance, Diego Barbosa cruzou da esquerda e Alisson finalizou de primeira, na pequena área. Thiago estava bem posicionado e evitou o tento cruzeirense com uma bela defesa.

Gols

A partir dos 30 minutos as equipes foram mais incisivas no ataque e os gols saíram.

O Flamengo abriu o placar exatamente aos 30. Após cruzamento para a área, a defesa cruzeirense afasta mal, no rebote o zagueiro Réver chuta e a bola e é desviada levemente pelo volante Willian Arão, mas o goleiro Fábio espalma. No rebote, Paquetá antecipa Hudson e marca.

O empate celeste veio oito minutos depois. O lance começou com uma finalização de longa distância de Hudson. O goleiro Thiago acabou espalmando a bola para dentro da área e o meia Arrascaeta, livre, empatou o confronto.

Share Button

BUSCAR NO SITE: